Selo do Séc. I encontrado no Templo em Jerusalém

Os arqueólogos descobriram recentemente um carimbo (selo) de argila de 2.000 anos de antiguidade em Jerusalém. Foi a Autoridade de Antiguidades Arqueológicas de Israel a instituição que encontrou este raro carimbo, do tamanho de uma moeda.

O carimbo apresenta duas inscrições, ambas em aramaico (língua falada no tempo de Jesus Cristo), nas quais se lê as palavras “santo” ( ou “puro”) e “Deus”. Por tanto, a tradução da inscrição seria “Santo para Deus” (puro para Deus, ou separado para Deus, no seu sentido literal).

O arqueólogo Ronny Reich da Universidade de Haifa, crê que o carimbo (selo) pertence do século 1 aC ao 70 dC . O cientista da Universidade Hebraica explica que corresponde com o período durante o qual as forças romanas sufocaram uma revolta judaica e destruiram o templo de Jerusalém.

Esta descoberta proporciona a evidência arqueológica directa da actividade ritual no templo tal e como se descreve nos textos bíblicos do Antigo Testamento cristão. 

A princípio, tudo indica que o selo está ligado aos rituais religiosos no Templo, pelo facto de ter sido encontrado debaixo do chamado “Arco de Robinson”, muito próximo do Monte do Templo.

Os arqueólogos acreditam que o uso do carimbo seria para marcar os objectos que haviam sido aprovados para o seu uso ritual, como por exemplo o azeite, ou um animal para o sacrifício.

Os elementos utilizados para o serviço religioso no Templo deveriam cumprir com as restrictas directrizes que se encontravam no texto legal judaico, a Mishna, onde menciona o uso de carimbos (selos).

O lugar onde foi encontrado o carimbo (selo) está situado próximo da parte antiga de Jerusalém, perto de uma outra escavação mais ampla que se realiza na zona conhecida como a Cidade de David, no interior do bairro vizinho palestiniano de Silwan.