O Livro em aúdio

Esta produção áudio de classe mundial e qualidade excepcional, mergulha o ouvinte atrás no tempo e na realidade dramática das Sagradas Escrituras como nunca antes foi feito. Esta obra conta com música original do compositor Stefano Mainetti, efeitos sonoros que transportam o ouvinte no espaço, narração de Michael York e locução de mais de 600 actores.

Cada livro da Bíblia vem à vida com um desempenho excepcional por Jim Caviezel como Jesus (actor do filme “Paixão de Cristo”), Richard Dreyfuss, como Moisés, Gary Sinise como David, Jason Alexander como José, Marisa Tomei como Maria Madalena, Stacy Keach como Paul, Louis Gossett, Jr. como John, Jon Voight como Abraão, Marcia Gay Harden como Esther, Joan Allen como Deborah, Max von Sydow como Noé, e Malcolm McDowell como Salomão.

O conjunto de 79 CD´s  apresenta um bonus DVD interactivo que inclui entrevistas com os actores, recursos de adoração, e um fascinante olhar sobre os bastidores desta produção evangélica. Até hoje foram vendidos mais de 750 mil exemplares e venceu vários prémios internacionais. Pode adquirir esta formidável obra pela Amazon.

Anúncios

Pedro Eustache

«O que eu faço, não sou eu que faço. Eu tenho um presente que Deus me deu (…) as palavras de carinho eu as recebo e as coloco nos pés da cruz de Jesus, porque tudo que tenho é inspirado em Cristo, e inspirado na cruz de Deus e é meu privilégio, minha benção e meu dever, entregar de volta ao Criador do Universo.»

Pedro Eustache é um músico e compositor multi-instrumentista venezuelano especializado em instrumentos de sopro.

Eclético, o músico que tem experiência de mais de 35 anos estudou profundamente mais de 500 tipos de aerofones oriundos de diferentes partes do mundo, desde as clássicas flautas, todas as variantes de saxofones, quenas, clarinetes e os mais diversos instrumentos indígenas de variadas regiões e culturas.

Pedro também possui uma colecção formada por cerca de 600 instrumentos vindos das mais variadas regiões, muitos dos quais foram criados ou modificados pelo próprio músico.

Pedro Eustache já participou em gravações de artistas como Phil Collins, Paul Mccartney, além de bandas sonoras de filmes como “A paixão de Cristo”, “Munique” de Steven Spielberg, “King Kong” , “O Interprete”, “A Vila”, “Hidalgo” ou “Piratas das Caraíbas 3”.

Obrigado Pedro pela tua música divina!

O rei adora O Rei

Elvis Presley, uma criança de uma infância pobre que sonhava com uma carreira artística, alcança a fama, torna-se o maior cantor em número de álbuns vendidos, e morre em decorrência do vício em drogas. Esse é o resumo mais conhecido da vida do chamado “Rei do Rock”.

Porém, Elvis cresceu frequentando uma igreja protestante, levado pela sua mãe aos cultos dominicais, e segundo Peter Ramsay, que escreveu uma biografia do cantor, amava a música gospel. “Elvis começou a cantar hinos quando era criança e frequentava a igreja com a sua mãe aos domingos. As pessoas que conviveram de perto com Elvis dizem que ele não gravou apenas hinos, ele realmente amava a música gospel. Depois de alguns shows, de madrugada, Elvis e alguns amigos gostavam de cantar clássicos da música cristã”, escreveu Ramsay.

Muito mais que isso, na sua carreira, Elvis foi nomeado aos Grammy´s (maior prémio da música norte-americana até hoje) catorze vezes, porém só venceu em três ocasiões, todas com músicas cristãs: em 1967, com o Álbum “How great thou art” (Quão grande és Tu); 1972, com o álbum “He touched me” (Ele tocou-me); e em 1974, com a versão ao vivo da canção “How great thou art”, gravada em Memphis.

“Elvis Presley gravou mais de 80 faixas de música gospel durante a sua carreira. Há muitas histórias sobre o respeito que Elvis tinha por Cristo. Uma noite, num dos seus primeiros grandes shows, alguns fãs abriram na plateia uma enorme faixa que dizia: ‘Elvis é o nosso Rei!’. Elvis parou no meio de sua música e disse claramente ao microfone: ‘Existe apenas um rei e é Jesus Cristo’”, conta o escritor e biografo Ramsay.

A Ponte [Filme]

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” – João 3:16

Esta curta metragem da República Checa, nomeada para o Óscar de Melhor Curta Metragem em 2004, resume em pouco mais de 30 minutos, o que Deus fez por toda a humanidade. As pessoas no comboio somos todos nós, o pai representa Deus, e o filho, Jesus Cristo. Um filme de esperança e renovação interior. Filme completo, legendado em português:

Hillsong United

Os Hillsong United são uma banda originária da Hillsong Church, localizada na Austrália, que produz música voltada para o público cristão jovem. A sua música é de louvor e adoração com um estilo pop-rock contemporâneo. Actualmente a banda é considerada uma das mais influentes na música Gospel além de ser vista como um dos grandes marcos da mesma, pois trouxe a ideia de adoração a Deus unida a uma vida jovem cristã sem religiosidade e tradicionalismos.

Steven Spielberg & Moisés

[Escultura de Moisés por Michelangelo -San Pietro in Vincoli, Roma.]

A Warner Bros. está interessada em recuperar a história de Moisés. O filme que aí vem chama-se “Gods and Kings” e o objectivo dos estúdios é terem Steven Spielberg a realizar.

O acordo entre Spielberg e a Warner Bros. deverá acontecer em breve. A Warner Bros. terá apresentado o argumento ao realizador em Setembro de 2011 para o convencer a encontrar um lugar para “Gods and Kings” na sua apertada agenda, mas só agora é que a colaboração está perto de ser confirmada. Espera-se uma obra épica, em tom realista, recordando o trabalho de Spielberg com “O Resgate do Soldado Ryan” .

A libertação dos escravos, liderada por Moisés, já foi adaptada em 1956 por Cecil B. DeMille, com Charlton Heston no papel do líder judaico. Os Dez Mandamentos venceu o Óscar de efeitos-especiais e a célebre travessia do Mar Vermelho é um dos momentos altos no filme e será certamente um dos principais desafios para Spielberg. O realizador, que tem raízes judaicas, já sabe também que se o projecto for avante, não será em 3D.

O Tabernáculo

Um tabernáculo é um templo, um lugar para adorar Deus. O tabernáculo era a estrutura que os israelitas construíam para a adoração. Depois do Êxodo (fuga do Egipto para Israel) por volta do ano 1450 a.C., o povo israelita acabou vagueando pelo deserto da Península do Sinai durante 40 anos.

Juntamente com os Dez Mandamentos, Deus atribuiu a Moisés instruções bem detalhadas (Êxodo – Capítulos 25 a 40) de como o povo tinha que construir o tabernáculo. Todos os materiais usados eram raros e valiosos (ouro, prata, bronze, linho, acácia etc.) e a estrutura era completamente portátil.

De cada vez que os israelitas mudavam o seu acampamento de lugar, o tabernáculo mudava com eles. Por ser portátil, o tabernáculo também servia como um símbolo de que Deus andava com o povo de Israel.

O tabernáculo era diariamente usado como o meio em que o povo se relacionava com Deus. Incenso e animais imolados no altar eram oferecidos a Deus juntamente com orações e louvores. Deus também estabeleceu dias específicos como o dia da expiação, dia em que o povo e os sacerdotes fariam tarefas especiais ou sacrifícios especiais para Deus.

O tabernáculo tornou-se o centro da comunidade israelita enquanto eles estavam no deserto. Quando eles acampavam, o lugar do acampamento de cada tribo era determinado pela localização do tabernáculo. O tabernáculo continuou a ser usado até que o Templo em Jerusalém (Séc. X a.C.) foi construído, no tempo do rei Salomão.